Qual é a melhor época do ano para comprar um carro? Veja dicas

De acordo com o fundador do Estoquezero.com, Vinícius Melo, o início e o final de cada ano são os mais propícios para o consumidor conseguir bons descontos. Porém, o executivo explica que é importante analisar o ano de fabricação do veículo, já que são períodos de troca de ano.

“É exatamente nesses períodos que precisamos ponderar se compensa levar um carro com o ano de fabricação do período vigente ou do anterior ou posterior, em detrimento do desconto”, completa.

Muitos especialistas também afirmam que os últimos dias de cada mês também são bons para quem deseja trocar ou comprar um carro.

“O final do mês pode gerar para o consumidor um momento propício de barganha, em função do não cumprimento das metas de vendas do mês nas concessionárias”, afirma Melo.

22_tarde

Preço que cabe no bolso

Segundo Melo, fatores ligados às finanças também devem ser levados em consideração, pois só dessa forma o consumidor saberá se o preço do veículo cabe no bolso.

O executivo listou alguns pontos importantes a serem considerados pelos consumidores:

1. Estude seu orçamento: verifique o atual índice de comprometimento de seu orçamento. Um carro pode virar um dos grandes vilões do orçamento pessoal ou familiar. Afinal, pesquisas afirmam que o brasileiro gasta por mês aproximadamente 3% do valor do carro em impostos e manutenção, incluindo custos adicionais, como estacionamento.

2. Confira as condições de pagamento: é claro que comprar à vista sempre sai mais barato, porém, deve ser levado em consideração o custo de oportunidade do dinheiro. No fim do ano, por exemplo, as montadoras precisam bater as metas anuais e, neste momento, é comum encontrar promoções com 50% de entrada e o restante com taxa de juro zero ou de 0,49% ao mês. Se o comprador não conseguir um bom desconto no pagamento à vista, neste caso, o financiamento vai ser mais vantajoso.

3. Avalie as taxas de juros: nesse caso, o que deve ser realmente levado em consideração é o CET (Custo Efetivo Total) da operação, que inclui, além da taxa de juros, todas as demais taxas e impostos. Fora isso, o financiamento é similar em várias agências, concessionárias, financeiras e até no banco onde você tem conta-corrente, o que pode ajudar a ganhar alguns descontos.

4. Consórcio x financiamento: o consórcio é uma compra programada, então, para quem precisa de um carro com urgência, não é o mais indicado. No consórcio, não existe incidência de juros e sim da taxa de administração, o que o torna financeiramente mais atraente. Porém, o valor da prestação não é fixo, mas indexado ao valor do bem, o que pode trazer surpresas futuras no orçamento destinado à compra do veículo. Dependendo do valor da entrada, o financiamento pode ser mais vantajoso do que o consórcio.

Fonte: InfoMoney

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>